sábado, 2 de abril de 2016

Recomeçar ...





















Sem toda aquela dor, com o olhar esperançoso num continum de melhorias não faz sentido lamentar assim ...
 É só mais um espinho que cravava na tentativa de não o perder da memória... Mas... Mas, como esquecer algo que faz parte de nós ? Vc, em geral, salvo alguns transtornos reais do nosso snc, mas você não esquece que tem um braço, uma perna, não esquece de respirar, esquece? É natural, quase mecânico, ou melhor dizendo, eufemismo sejam feitos, é fisiológico, faz parte do seu funcionamento basal/estrutural...

Exagero por assim né ? Bem, depois de 2 anos de situações controversas e me ver sorrir como criança a um esboço de contato, me faz ver que não!  Uau! Sinto algumas críticas sobre o valor que atribui, mas entenda, antes de questionar, eu não parei pela ausência, continuo aqui, aprendendo/crescendo a cada dia, sorrindo, brincando, mas com aquela sensação de : como será que está do lado de lá?

Uma saudade amena, que as X me contorce a noite, quietinha, no meu travesseiro, mas que depois de lavada me faz sorrir por ainda ter esperança na vida/destino/programação, por me sentir agradecida de sentir algo tão fantástico, por acreditar em algo que não dá para digitar Rs  ...

(Suspiro)

Só dói um pedacinho mais quando a memória me trae e leva sua voz/seu rosto para longe ...

  Enfim, apenas ...